Mulheres na TI

O histórico das mulheres na TI

Você sabia, por exemplo, que para muitos especialistas o primeiro algoritmo da história foi criado por uma mulher? Esse marco pertence à Condessa de Lovelace, Augusta Ada King. Antes mesmo que houvesse computadores para calcular tais dados, Lovelace foi capaz de escrever tal sequência de cálculos. Anos após seu falecimento, seu algoritmo foi verificado e comprovado.

Outra mulher que marcou a história da tecnologia foi a irmã Mary Kenneth Keller. Suas contribuições foram essenciais para criação da linguagem de programação Basic.

Recentemente o filme Estrelas Além do Tempo (título original, Hidden Figures), contou a história de Katherine Johnson, Dorothy Vaughn e Mary Jackson. As três funcionárias negras da NASA foram peça chave no projeto de lançamento do astronauta John Glenn para o espaço, no auge da corrida espacial entre Estados Unidos e União Soviética.

Mesmo com tantas mulheres incríveis na história, ainda existem pessoas que acreditem que tecnologia não é para mulheres. As mulheres na TI fazem a diferença, e esse é um paradigma que precisa ser quebrado.



Por que existem tão poucas mulheres na TI?

O principal problema para ingressar as mulheres na TI é uma questão cultural. Ainda é ensinado que tecnologia, matemática, programação não são áreas de estudos para as mulheres.

Os cursos de tecnologia cresceram 586% nos últimos 24 anos aqui no Brasil. No entanto, a participação das mulheres matriculadas apenas diminui com o passar dos tempos. Ela caiu de 34,89% para 15,53%.

As mulheres que decidem seguir os estudos na área de tecnologia encontram outros desafios no mercado de trabalho. Elas são desacreditadas por parceiros de equipes e clientes, que não acreditam em seu potencial.

Elas também recebem salários inferiores. Uma pesquisa da empresa de recrutamento, Revelo, indicou que as mulheres na TI recebem cerca de 17,4% a menos que os homens.

O ambiente de trabalho, muitas vezes machista, também desmotiva essas mulheres. No Reino Unida a organização EveryWoman e a Revista Marie Claire realizaram um estudo em parceria. O resultado? 46% das entrevistadas afirmaram já terem passado por um caso de sexismo (termo que define o preconceito de gênero).

Existe muito a ser feito, feito pelas mulheres na TI e no mercado de trabalho em geral. Mas o principal é mudarmos nossa concepção, sobre o que é uma profissão para homens ou mulheres.

Mulheres podem – e devem – trabalhar e estudar tecnologia. O gênero de uma pessoa não define sua capacidade. Nesse quesito, somos todos iguais. A NetSupport acredita em mulheres na TI, em TI para todos.

Fonte: Netsupport


Mulheres da TI

Algumas das mulheres mais poderosas da TI que, mesmo neste cenário, inspiram e revolucionam gigantes empresas e negócios da tecnologia.

1. Susan Wojcicki


CEO do YouTube e considerada a 12ª mulher mais poderosa do mundo pela revista Forbes, Susan Wojciki já foi citada como uma das mulheres mais influentes e poderosas da tecnologia diversas vezes.

Os fundadores da Google, Larry Page e Sergey Brin, montaram o escritório na garagem de Susan. Ela se tornou gerente de Marketing da Google em 1999, trabalhou na Intel, foi consultora de gerenciamento na Bain & Company e na R.B. Webber & Company.

Ela ajudou a desenvolver ferramentas de sucesso da Google, como o Google Imagens e o Google Books. Já foi enaltecida pela revista Forbes, pela Vanity Fair e pela Fortune. Com uma fortuna de aproximadamente 26 bilhões de dólares e mãe de cinco filhos, ela é um símbolo de equilíbrio entre carreira e família.


2. Virginia “Ginni” Rometty


Ginni, como é chamada, é a atual CEO e Chairwoman da IBM desde 2012, e é a primeira mulher a ser líder da centenária companhia. Antes de se tornar CEO, trabalhou na empresa por 30 anos, ocupando posições de Vice-Presidente Sênior e Executiva de Vendas, Marketing e Estratégia.

Bacharel em ciência da computação e engenharia elétrica, Ginni trabalhou para o General Motors Institute e entrou na IBM como engenheira de sistemas. Citada por diversas revistas e incluída em vários rankings, Ginni alcançou o topo da lista de mulheres mais poderosas dos negócios em 2012, pela revista Fortune.


3. Ursula Burns


CEO da Xerox, Ursula Burns é a primeira mulher negra a dirigir e liderar uma corporação nos Estados Unidos. Mestre e bacharel em Engenharia Mecânica, Ursula começou na Xerox como estagiária, em 1980. Em 2009, depois de construir uma célebre carreira na empresa, foi nomeada CEO, sucedendo Anne Mulcahy.

Ursula não é só diretora executiva e presidente da Xerox, mas também é diretora do conselho da American Express Corporation e Exxon Mobil Corporation, ativista em ONGs como a FIRST e foi nomeada pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, como vice-presidente do Conselho de Exportação do Presidente.


4. Safra Catz


Com bacharel pela Wharton School e doutorado em jurisprudência, Safra é presidente e CFO da Oracle. Ela entrou na empresa em 1999 e atua como presidente desde 2004. É membro da diretoria desde 2001 e há dez anos ocupa também a posição de diretora do Grupo HSBC.

Ela está na 23ª posição de mulher mais poderosa no ranking da revista Forbes. Em 2014, ficou em segundo lugar no ranking de melhor salário com a quantia de US$ 71,2 milhões.


5. Sheryl Sandberg


Sheryl é a COO do Facebook e braço direito de Mark Zuckerberg. Ela ocupa o cargo desde 2008 e desde 2012 é membro do conselho de administração da empresa, sendo a primeira mulher a ocupar a posição. Antes de entrar no Facebook, Sheryl foi Vice-Presidente de Operações do Google. Também trabalhou no Departamento do Tesouro norte-americano como chefe de pessoal.

Sheryl foi eleita pela Forbes a 10ª mulher mais poderosa do mundo e entrou no ranking das cem pessoas mais influentes do mundo pela revista Time. Ela é autora do livro Faça Acontecer, no qual aborda as dificuldades e desafios que as mulheres enfrentam em suas carreiras.

6. Margaret “Meg” Whitman


Meg é uma executiva estadunidense nascida em Nova York. Graduada em Economia pela Princeton e com MBA em Harvard, ela já atuou em grandes empresas, como a Walt Disney Company, a DreamWorks e a Hasbro.

Assumiu o cargo de CEO do eBay em 1998 e concorreu à governadora da Califórnia em 2010. No ano seguinte, se tornou CEO da HP, empresa onde permaneceu até 2017. Meg foi considerada a quarta pessoa mais rica do estado da Califórnia, em 2010, com o patrimônio de US$ 1,3 bilhões.


7. Cher Wang


Co-fundadora e presidente da HTC (empresa que fabrica um de cada seis smartphones vendidos nos Estados Unidos, fundada em 1997), Cher é considerada uma das mulheres mais poderosas e bem-sucedidas da tecnologia. Seu pai, Wang Yung-ching, fundador da Formosa Plastics Corporation, foi considerado uma das pessoas mais ricas do Taiwan.

Cher foi listada pela Forbes como a 54ª mulher mais poderosa do mundo. Ela também tem dois filhos e é uma forte filantropa, fazendo constantes doações e ações de caridade para instituições. Por exemplo, em 2012, Wang doou 6000 tablets HTC Flyer para 60 escolas de ensino médio em Taipei.


8. Angela Ahrendts


Angela é empresária e vice-presidente da Apple. Ela foi CEO da casa de moda Burberry de 2006 até 2014, quando deixou a empresa para ocupar o cargo na Apple. Ela ficou em 25º lugar na lista das mulheres mais poderosas do mundo em 2015, foi a 9ª mulher mais poderosa do Reino Unido na BBC Radio 4 Woman’s Hour 100 Power List e 29ª na lista da Fortune de 2014 das mulheres mais poderosas do mundo em negócios. Ela também foi membro do conselho de negócios do primeiro-ministro do Reino Unido até 2016. 

Fonte: Siteware



5 visualizações

Conheça nossos cursos profissionalizates